Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Atonia Gástrica

Fone 43 3325 5103

http://www.scielo.br/pdf/ramb/v43n3/2041.pdf

Descrição: http://3.bp.blogspot.com/-YuzXZi8VGwE/UuWL6O5GYHI/AAAAAAAABEs/BetNg69-Bfw/s1600/Espinheira+santa.JPG

Espinheira-santa – Maytenus spp.

A espinheira-santa (Maytenus spp) é uma planta medicinal bastante utilizada no Brasil, cujo nome advém da aparência de suas folhas e por ser considerado um “santo remédio”. A espinheira-santa também é conhecida popularmente como salvavidas, coro-milho-do-campo, espinho-de-Deus, maiteno, sombra-de-touro, congorça e cancerosa. Inclui as espécies Maytenus aquifolia Mart., Maytenus ilicifolia Mart., Maytenus oxyodonta Reiss. e Maytenus briquetii Loes. Todas as espécies pertencem à família Celastraceae e são nativas da América do Sul.

 

Para que serve a espinheira-santa?

A espinheira-santa (Maytenus spp) é uma planta medicinal bastante utilizada no Brasil, cujo nome advém da aparência de suas folhas e por ser considerado um “santo remédio”. A espinheira-santa também é conhecida popularmente como salva vidas, coro-milho-do-campo, espinho-de-Deus, maiteno, sombra-de-touro, congorça e cancerosa. Inclui as espécies Maytenus aquifolia Mart., Maytenus ilicifolia Mart., Maytenus oxyodonta Reiss. e Maytenus briquetii Loes. Todas as espécies pertencem à família Celastraceae e são nativas da América do Sul.

Para que serve a espinheira-santa?

 

As partes utilizadas da espinheira-santa são as folhas, que podem ser administradas em forma de chá, cápsulas com extrato seco, tinturas e extrato fluido. O chá de espinheira-santa sempre foi muito popular na medicina alternativa, vez que sempre foi utilizado amplamente por tribos indígenas da América do Sul, sendo considerado popularmente como um “santo remédio”. Além do uso interno, pode-se fazer uso tópico do chá ou de unguentos da planta, de forma minimizar dores de ferimentos e facilitar a cicatrização.

 

A espinheira-santa (Maytenus spp.) faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS) devido ao largo uso na medicina popular e comprovada eficácia principalmente no tratamento de problemas digestivos (com eficácia equivalente à obtida com a cimetidina e ranitidina), que está relacionada à presença de taninos nas folhas da planta. A espinheira-santa, como serve também para beneficiar a digestão, pode ajudar pessoas a emagrecer, principalmente aquelas que possuem distúrbios digestivos.

 

Os taninos têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico neste; poder antisséptico por paralisar as fermentações gastrintestinais, inclusive os efeitos da Helicobacter pylori, causadora de úlcera gástrica; e analgésico por aliviar as dores ao corrigir as funções estomacais e ao facilitar a eliminação de gases.

 

A espinheira-santa mostra-se ainda mais poderosa ao ser capaz de inibir alguns tipos de cânceres, como o câncer de pele e o câncer gástrico ao combater a bactéria Helicobacter pylori, também causadora deste mal. Seus componentes principais são terpenos, triterpenos, taninos, flavonóides, mucilagens, antocianinas, açúcares livres e traços de sais minerais. Seu efeito laxativo deve-se à mucilagem presente na planta; já o diurético, aos triterpenos. .

Benefícios do chá de espinheira-santa

 

Na forma de chá, para tratamento de úlceras e dispepsias, a espinheira-santa deve ser ingerida antes das refeições principais ou a critério do médico. Sua utilização em excesso, porém, pode causar náuseas. Um exemplo de forma de preparo da espinheira-santa em forma de chá é misturar 20 gramas de folhas secas e rasuradas da planta à 01 litro de água fervente e abafar por alguns minutos.

Contraindicações e efeitos colaterais da espinheira-santa

 

A planta foi muito utilizada por índios sul-americanos como abortivo e para evitar a gravidez, propriedades que podem ser comprovadas devido ao feito de promover contrações uterinas e até de dificultar a implantação do embrião na parede do útero. Portanto, não deve ser utilizada por mulheres que desejam engravidar ou estejam em fase de gestação.

Lembramos que as informações aqui contidas terão apenas finalidade informativa, não devendo ser usadas para diagnosticar, tratar ou prevenir qualquer doença, e muito menos substituir os cuidados médicos adequados.