Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Perda de audição

Fone 43 3325 5103

Perda de audição

Descrição: http://www.farmaciasaude.pt/site/images/stories/artigosimage/perda_audiao.jpgPerda auditiva; surdez; diminuição da audição; perda auditiva condutiva.

É a incapacidade total ou parcial para ouvir os sons em um ou em ambos os ouvidos.

Veja também:

  • Perda auditiva em recém-nascidos
  • Perda auditiva relacionada com a idade
  • Surdez neurossensorial

Considerações gerais:

As diminuições menores na audição são comuns após os 20 anos de idade.

Os problemas de audição geralmente aparecem gradualmente e raramente têm como resultado a surdez completa.

Existem muitas causas de perda auditiva e estas podem ser divididas em duas categorias principais:

  • Perda auditiva condutiva: ocorre devido a um problema mecânico no ouvido externo ou no ouvido médio. É possível que os três minúsculos ossos do ouvido (ossículos) não conduzam o som até à cóclea ou o tímpano não vibre em resposta ao som. A presença de líquido no ouvido médio pode causar este tipo de perda auditiva.
  • Perda auditiva neurossensorial: ocorre quando há um problema no ouvido interno. Na maioria das vezes ocorre quando as células ciliadas (terminações nervosas) que transmitem o som através do ouvido estão lesionadas, doentes, não estão a funcionar corretamente ou morreram prematuramente.

A perda auditiva condutiva é geralmente reversível, enquanto que a perda neurossensorial não o é. Diz-se que as pessoas que têm duas formas de perda auditiva têm perda auditiva mista.

Causas comuns:

A causa mais comum de perda auditiva temporária em crianças é a otite (infecção do ouvido). Os fluidos podem permanecer no ouvido depois de uma infecção no ouvido. Os líquidos podem causar sérios problemas de audição nas crianças. Qualquer líquido que se mantenha mais de 8 a 12 semanas é motivo de preocupação.

CAUSAS PRESENTES NO NASCIMENTO (CONGÉNITAS):

  • Anomalias congénitas que causam mudanças na estrutura do ouvido
  • Síndromes genéticas (são conhecidas mais de 400)
  • Infecções que a mãe transmite ao bebé no útero (como toxoplasmose, rubéola ou herpes)

INFECÇÕES:

  • Sarampo
  • Meningite
  • Papeira
  • Escarlatina

CAUSAS TRAUMÁTICAS:

  • Trauma acústico como o produzido por explosões, fogos de artifício, armas de fogo, concertos de rock e auscultadores
  • Perda auditiva relacionada com a idade (presbiacusia)
  • Barotrauma (diferenças de pressão, especialmente ao mergulhar)
  • Fratura de crânio (osso temporal)
  • Perfuração traumática da membrana timpânica
  • Trabalho diário em zonas de ruídos altos (podem danificar as células responsáveis ​​pela audição)

OUTRAS:

  • Neuroma acústico
  • Bloqueio das trompas de Eustáquio
  • Acumulação de cera de ouvido no canal auditivo
  • Corpo estranho alojado no canal auditivo
  • Doença de Ménière
  • Tímpano perfurado ou cicatrizado
  • Uso de certos medicamentos

Cuidados em casa:

Muitas vezes, a acumulação de cera pode ser lavada cuidadosamente com seringas de ouvido (disponíveis em farmácias) e água morna. Podem ser necessários amaciadores da cera se a cera está dura e presa no ouvido.

Tenha cuidado ao remover corpos estranhos e, a menos que o objeto seja facilmente acessível, tente que seja o seu médico a removê-lo. Não use instrumentos afiados para remover corpos estranhos.

Consulte o seu médico no caso de sofrer qualquer perda de audição.

Solicite assistência farmacêutica e médica se:

  • Os problemas de audição interferem com o seu estilo de vida
  • Os problemas de audição não desaparecem ou pioram
  • A audição é pior num ouvido do que no outro
  • Apresenta uma perda auditiva severa e repentina ou zumbido nos ouvidos (tinido)
  • Apresenta outros sintomas, como dor de ouvido, junto com os problemas de audição
  • Apresenta dores de cabeça, fraqueza ou dormência em qualquer parte do corpo.

O que esperar na consulta:

O seu médico irá elaborar a sua história clínica e realizar um exame físico.

As perguntas da história clínica podem incluir:

  • Será que a perda auditiva afeta ambos os ouvidos ou apenas um?
  • A perda auditiva é ligeira ou grave?
  • Perdeu toda a capacidade auditiva (incapacidade para ouvir qualquer som)?
  • Há diminuição da acuidade auditiva (as palavras soam ilegíveis)?
  • Há diminuição da capacidade de entender a fala?
  • Há diminuição da capacidade de localizar a origem de um som?
  • Durante quanto tempo é que apresentou perda auditiva?
  • Isso ocorreu antes dos 30 anos de idade?
  • Que outros sintomas também estão presentes?
  • Há tinidos (zumbidos ou outros sons)?
  • Há dor de ouvido?
  • Tem tonturas ou vertigens?
  • Tem outros parentes com perda auditiva?

O exame físico incluirá uma avaliação detalhada dos ouvidos.

Alguns exames de diagnóstico que podem ser realizados incluem:

  • Audiograma (prova auditiva electrónica)
  • Teste de resposta auditiva
  • Prova calórica
  • Tomografia computorizada da cabeça (em caso de suspeita de tumor ou fratura)
  • Ressonância magnética do ouvido
  • Timpanometria
  • Radiografia da cabeça

Pode ser fornecido um aparelho auditivo ou um implante coclear para melhorar a audição.

Farmácia Saúde F