Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Elefantíase

Fone 43 3325 5103

Remédio caseiro para a elefantíase

A elefantíase, também conhecida como filariose (filaríase), consiste numa doença parasitária que afecta a circulação sanguínea linfática, originando a dilatação da perna afectada, ficando assim semelhante à pata de um elefante, daí o nome da doença.

Para diminuir a dilatação e promover a boa circulação sanguínea, poderá utilizar um chá de folha de “pata-de-vaca”. Este chá funcionará como um remédio caseiro 100% natural, que muito poderá ajudar no tratamento desta doença.

Para dar inicio à preparação do chá, coloque 150 gramas de folha de pata-de-vaca em cada litro de água fervente. Após a preparação do chá, aplique o mesmo sobre o membro afectado, com o auxílio de compressas.

A aplicação deverá dar-se com a infusão ainda morna, pois tal facilitará imenso a diminuir a dilatação. Para complementar este tratamento, também poderá beber um chá da mesma planta. Quando se tratar da confecção do chá para consumo, em vez da utilização de 150 gramas da planta para cada litro de água, utilize apenas 30 gramas.

É importante manter em mente que, este tratamento, terá unicamente por objectivo ajudar na recuperação e alívio dos sintomas do paciente, e não deverá, de forma alguma, ser encarado como substituto para um bom acompanhamento clínico feito por profissionais especializados na área.

ELEFANTÍASE

Doença crônica causada por bacilos parasita que penetram nos vasos linfáticos, bloqueando-os. À medida que a doença evolui, os tecidos do membro afetado dilatam se causando sua atrofia, e a pele que o reveste torna-se espessa e áspera. As pernas, por exemplo, podem chegar a parecer patas de elefante, donde provém a denominação da doença. Os principais sintomas são: dores sem causa aparente no membro afetado, inchaço na virilha, calafrios, febre, manchas vermelhas na perna e no escroto, aumento de volume do membro afetado e alterações na coloração da urina, que às vezes apresenta se leitosa e outras vezes é acompanhada de sangue. A doença se desenvolve muito lentamente durante anos a fio, o que dificulta sua identificação. Porém, havendo a mais leve suspeita da presença do mal, procure um médico imediatamente.
A dor nos membros pode ser aliviada por meio de compressas frias e quentes alternadamente, e o inchaço pode ser combatido por meio de massagens locais. Os tratamentos naturais auxiliarão na recuperação do paciente, porém não devem substituir a indicação médica.


TRATAMENTOS


Hortaliças

Cebola • Suco diluído em água. Tomar 250 ml, 2 vezes ao dia.
Cenoura • Tomar 250 ml de suco, 30 minutos antes do almoço.
• Cataplasma de cenoura crua ralada, com duração de 2 horas.
Inhame • Cataplasma local de inhame cru ralado, com duração de 2 horas.
• Usar elixir de inhame.
• Comer inhame cozido em água e temperado com azeite de oliva e sal.


Frutas

Figo • Chá das folhas da figueira (40 g para 1 litro de água). Tomar 4 xícaras ao dia.
Goiaba • Chá das folhas da goiabeira (40 g para 1 litro de água). Tomar 4 xícaras ao dia.
Jenipapo • Suco natural. Tomar 250 ml, 4 vezes ao dia.


Plantas

Murta-cultivada • Chá de toda a planta (150 g para 1 litro de água). Fazer banhos locais com o chá morno.
Pata-de-vaca • Chá das folhas (150 g para 1 litro de água). Fazer banhos locais com o chá morno.
• Chá das folhas (30 g para 1 litro de água). Tomar 4 xícaras ao dia.

Texto extraído do livro "Medicina Alternativa de A a Z", Carlos Nascimento Spethmann.

Sendo um problema que, não só prejudica imenso o aspecto estético da pessoa afectada, como também a sua mobilidade, é necessário actuar o mais rápido possível no seu combate, de forma a evitar o agravamento do problema, que contribuirá para dificultar imenso o seu tratamento.