Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Menopausa, perturbações nervosas 

Fone 43 3325 5103

Chá de erva João-da-costa

De nome científico Echites peltatus Vell., a erva conhecida como João-da-costa é nativa do Brasil – estado de Minas Gerais e extensão entre Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul –, da Argentina e do Paraguai. A trepadeira possui ramos volúveis e também é conhecida como cipó-benção, cipó-capador, cipó-de-mucuna, cipó-de-paina, erva santa e paina de penas.

A planta da família das Apocynaceae possui caule longo e folhas opostas que são arredondadas na base, peltadas, lactescentes e carnosas, além das flores que apresentam uma coloração amarelo-enxofre. A erva João-da-costa pode ser encontrada para comprar em lojas de produtos naturais e medicamentos fitoterápicos.

É importante, no entanto, que você consulte um médico sempre antes de começar um tratamento com qualquer medicamento, mesmo que seja natural, pois existem interações e reações adversas que devem ser analisadas por um especialista antes do consumo.

Descrição: Chá de erva João-da-costa

Foto: Reprodução

Benefícios e propriedades da erva

A erva possui propriedades anti-inflamatórias e anti-ulcerogênicas, podendo ser usada como tratamento de artrite, cólicas, corrimentos, dores menstruais, orquite, inflamações do aparelho urogenital, inflamações dos ovários, reumatismo e úlcera crônica. O uso das folhas e do caule, além do tratamento de todas as doenças acima citadas, pode ser feito também para aumentar a fertilidade em mulheres. Além disso, pode ser usado não só para tratamento de dores e incômodos relacionados à Tensão Pré Menstrual, mas também dos mesmos problemas relacionados ao período da menopausa.

Como preparar o chá?

O chá de João-da-costa pode ser preparado com a proporção de duas colheres de sopa da erva para cada litro de água. Coloque a água em um recipiente e leve ao fogo. Adicione a erva e deixe no fogo até alcançar fervura. Em seguida, desligue e tampe, deixando a solução descansar abafada por um período de, aproximadamente, dez minutos. Passado este tempo, coe e consuma. A dose indicada é de duas a três xícaras por dia.

Contraindicações e precauções de uso

Esse medicamento natural é contraindicado para pacientes gestantes, mulheres em fase de amamentação dos bebês – pois quaisquer substâncias ingeridas são absorvidas e transmitidas ao bebê pelo leite – e menores de 18 anos. A planta, quando usada de forma incorreta é tóxica e, por isso, somente deve ser usada com supervisão médica. Além disso, a planta pode ter interações medicamentosas, por isso sempre informe ao seu médico todos os remédios que esteja fazendo uso atualmente

 

A valeriana, de nome científico Valeriana officinalis, também conhecida como erva-dos-gatos, é uma planta muito estudada e tem demonstrado resultados clínicos evidentes, com eficácia terapêutica nos tratamentos da ansiedade e como estimulante cerebral. É uma planta medicinal muito antiga, como recorda o seu nome científico, derivado do latim valere, que significa “ter saúde”. A parte utilizada da planta é a raiz e é mais comumente encontrada sob a forma de infusão (chá) ou comprimidos. A valeriana é uma das únicas plantas medicinais com o poder sonífero comprovado por vários estudos, sendo reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) devido aos seus benefícios contra a ansiedade.

Descrição: Chá de valeriana - Benefícios e propriedades

Propriedades e indicações de uso

  • Sedativo;
  • Calmante e relaxante;
  • Histeria;
  • Perturbações da menopausa;
  • Insônia crônica;
  • Estresse;
  • Dermatoses pruriginosas;
  • Perturbações cardíacas de origem nervosa;
  • Cãibras;
  • Antiespasmódicas;
  • Sonífero (reduz o tempo que a pessoa leva para adormecer e aumenta a duração do sono);
  • Anticonvulsionante.

Em razão de suas propriedades, a valeriana é muito útil para as pessoas que sofrem com problemas relacionados ao sono, como a insônia, ansiedade, estresse, epilepsia, além de auxiliar quem está parando de fumar

As cápsulas de Mulungu têm ação sedativa sobre o sistema nervoso central e é relaxante da musculatura lisa. Usado como calmante e coadjuvante em dores de origem reumática ou nevrálgica.O Mulungu proporciona um sono natural, sem causar dependência. É indicado em todos os casos de insônia e irritabilidade relacionados a necessidades, angústias, tensões e menopausa.

Planta medicinal com efeito ansiolítico, antidepressivo, tranquilizante, sedativo, hepatoprotetor, hipotensivo, entre outros.Distúrbios como síndrome do pânico, depressão e stress atingem uma fatia cada vez maior da população. Consequentemente, aumentam as vendas de medicamentos. Apesar desses males serem reflexo da vida moderna é na milenar sabedoria popular que estão as melhores alternativas: os remédios naturais.

O mulungu, árvore encontrada no Nordeste do país, é usada há muito tempo como sedativo natural, pois estabiliza o sistema nervoso central.Além do combater a insônia, o chá é eficaz para diminuir a ansiedade pela comida, segundo a nutricionista Bettina Moritz. Ela recomenda a ingestão de três xícaras do chá por dia. A planta medicinal também em efeito antioxidante, que fortalece o fígado, além de regular os ritmos cardíacos.

Composição: Mulungu.

Indicação

- Ansiedade;

- Perturbações nervosa da menopausa;

- Insônia;

- Dores reumáticas;

- Nevralgias.