Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Nervos

Fone 43 3325 5103

5 Chás Que Acalmam

Anda nervosa, irritada, impaciente e sem conseguir dormir? Pois temos uma listinha de cinco chás que são tudo de bom pra evitar e combater o problema!

Esses chás são bem conhecidos, e devem ser consumidos como coadjuvantes. O efeito deles, via de regra, é mais lento que dos remédios calmantes, e alguns são de efeito progressivo, então quanto mais a gente toma, mais resultados vê.

1. Melissa

A melissa é conhecida também como erva-cidreira, e é um dos meus chás preferidos, porque é, junto com o capim-santo, o mais gostoso!

Trata-se de uma erva de ação hipotensa moderada, que, segundo estudos recentes, atua  em determinada parte do cérebro que controla o sistema nervoso autônomo, ajudando a proteger o cérebro de estímulos em excesso. Ele relaxa o sistema nervoso e induz levemente o sono, sendo indicado também para casos de insônia a perturbações nervosas, dentre outras coisas.

É benéfico, ainda, pra quem sofre de ansiedade e depressão, vez que os óleos essenciais presentes nas folhas dessa erva possuem efeito sedativo.

Pra fazer o chá, pode-se usar folhas frescas ou secas em infusão em água, sendo que a quantidade de folhas varia de acordo com o resultado que se quer alcançar, de modo que quanto mais concentrado for o chá, maior será o efeito sedativo. Vale lembrar que a melissa é uma planta segura mesmo para crianças, contudo, ela pode reduzir a função da tireoide, de modo que o seu consumo deve ser acompanhado por um profissional de saúde.

Descrição: Chás, chá do Carlota

2. Camomila (Matricaria recutita)

A camomila é uma erva bastante conhecida por seus efeitos calmantes, vez que combate a ansiedade, mas é também usada para combater cólicas, sobretudo cólicas infantis. É, com certeza, uma das ervas mais utilizadas no país, sendo recomendada para pessoas muito aceleradas e também para as que consomem muito café, já que ela ajuda a reduzir os níveis de cafeína no sangue, o que ajuda também em casos onde a dor de cabeça é causada pelo excesso de café.

É uma erva de uso seguro, sendo raros os casos em que causa alguma reação alérgica ou efeitos adversos. Pode ser tomado diariamente, e quanto maior a quantidade de camomila, mais concentrado será o chá e maior seró o efeito sedativo.

A camomila é bem fácil de achar, tanto em saquinhos, que são vendidos em lojas de produtos naturais, quanto nos sachês, daqueles que a gente acha nos mercados. Eu prefiro dos saquinhos, porque ali dá pra dosar melhor a quantidade de camomila no momento de fazer o  chá, o que determina a maior ou menor concentração e, consequentemente, os resultados.

Descrição: dieta-cha-3-ervas-6-kg-1-mes

3. Passiflora (Passiflora incarnata)

A passiflora também é outro calmante natural bastante conhecido, que traz muitos benefícios para o sistema nervoso, vez que aquieta a mente e acalma, atuando de forma a sanar possíveis desarranjos em alguns neurotransmissores, sendo, por isso, indicada para acalmar a estimular o sono. Além disso, vem sendo utilizada em casos de depressão, ansiedade e ataques de pânico, ajudando ainda em casos de tensão extrema.

Pode ser usado em forma de chás e de sucos, e já existem vários fitoterápicos a base de passiflora nas prateleiras das farmácias.

A grande maioria pode não reconhecer o nome “passiflora”, mas com certeza conhece o maracujá, não é mesmo? Eu prefiro o suco de maracujá dos bem concentrados (e geladinhos), e, ao menos aqui na Bahia, ele é bem fácil de ser encontrado nos mercados, mas as folhas secas são encontradas também facilmente, só que em casas de produtos naturais.

Descrição: Resultado de imagem para erva são joao

4. Erva-de-são-joão (Hypericum perforatum)

A erva-de-são-joão é mais conhecida pelos poderes de combater a depressão, sendo bastante utilizada em várias partes do mundo  como antidepressivo natural que combate a depressão leve.

Contudo, possui ação ansiolítica, ajuda em casos de ansiedade, de insônia e de cansaço extremo.

Vale lembrar que essa é uma erva de uso restrito, que só é vendida com receita médica. Pode-se encontrar nas farmácias de manipulação o extrato seco padronizado em concentrações diversas, bem como a tintura, que é feita com álcool de cereais. Existem também as cápsulas com o produto na forma de pó, mas o efeito é mais fraco pois a concentração é menor.

4. Erva-de-são-joão (Hypericum perforatum)

 

A erva-de-são-joão é mais conhecida pelos poderes de combater a depressão, sendo bastante utilizada em várias partes do mundo  como antidepressivo natural que combate a depressão leve.

 

Contudo, possui ação ansiolítica, ajuda em casos de ansiedade, de insônia e de cansaço extremo.

 

Vale lembrar que essa é uma erva de uso restrito, que só é vendida com receita médica. Pode-se encontrar nas farmácias de manipulação o extrato seco padronizado em concentrações diversas, bem como a tintura, que é feita com álcool de cereais. Existem também as cápsulas com o produto na forma de pó, mas o efeito é mais fraco pois a concentração é menor.

 

O chá pode ser preparado por infusão, com fervura das raízes durante alguns minutos ou então pode-se deixar a folha “de molho” por 24 horas na água, devendo o líquido ser tomado ao longo do próximo dia.

 

Falando nisso, os chás devem ser tomado sempre no mesmo dia, e jamais devem ser deixados de um dia para o outro, já que suas propriedades se perdem.

Descrição: Resultado de imagem para erva são joao

Descrição: https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQHDYT1GLjPQuqYh8AonJIpJURRCnEYrZI2ZPID7f6-HreffXuiEg

5. Valeriana (Valeriana officinalis)

Sendo bem honesta, a valeriana é fedida, bem fedida, mas os seus efeitos são bem interessantes e compensam o odor ruim.

Possui efeito calmante e sedativo, sendo muito usada por pessoas que têm insônia, que vivem muito tensas, ansiosas e estressadas, e ultimamente vem sendo indicada pra tratar a irritabilidade das pessoas que têm TDAH.

É fato que em casos de insônia leve a moderada, ela é sim eficaz, bem como calmante em casos de ansiedade, podendo ser encontrada em forma de chá, de cápsulas, de tintura ou de pílulas.

Pra fazer o chá, basta usar uma colher da raiz da valeriana (usa-se a raiz, não a folha) para cada xícara de água. Ferve-se a água, desliga-se o fogo, daí é só colocar a raiz em infusão por 15 minutos e tomar o chá em seguida, ainda morno.

O indicado são três xícaras ao longo do dia, com uma concentração maior próximo do momento de dormir. Como o sabor é amargo e o cheiro é ruim, uma opção mais amena são as pílulas de valeriana, que são facilmente encontradas em farmácias. Ah, as pílulas conservam o odor forte, mas ao menos não são amargas!

Em algumas pessoas pode causar dores de cabeça, vertigem e distúrbios visuais, e seu uso não é indicado durante a gestação.

Opções não faltam, e o uso de ervas naturais é, via de regra, mais seguro do que o uso de remédios calmantes, mas tudo, claro, deve ser conversado antes com um médico de confiança.

 

 

Descrição: Capim-santo

Capim-santo

Essa erva medicinal cultivada em quase todos os países tropicais inclusive no Brasil. É uma das mais usadas, para diversas aplicações e é chamada por diferentes nomes, como por exemplo: Capim-santo, capim-limão, capim-cidreira e falsa-erva-cidreira. Comumente há confusão dessa planta com a erva-cidreira (Melissa officinalis). Para acabar com esta confusão é só observar as duas plantas, pois elas são bem diferentes: enquanto o capim-cidreira apresenta folhas estreitas, longas e lanceoladas, a erva-cidreira produz folhas grandes, ovais, pecioladas, serrilhadas e com nervuras salientes.

O capim-santo (Cymbopogon citratus) tem aplicações tão variadas quanto os muitos nomes que recebe! Tem uso medicinal, cosmecêutico e culinário. Além disso, o óleo essencial do capim-santo é o citral, sendo uma mistura de isômeros, que é utilizada pela indústria farmacêutica para síntese de ianonas e vitamina A, acompanhado de um pouco de mirceno. Tem ação calmante e espasmolítica comprovada, que é atribuída a presença do citral, considerando-se a atividade analgésica devida ao mirceno.

Capim-santo

 

Essa erva medicinal cultivada em quase todos os países tropicais inclusive no Brasil. É uma das mais usadas, para diversas aplicações e é chamada por diferentes nomes, como por exemplo: Capim-santo, capim-limão, capim-cidreira e falsa-erva-cidreira. Comumente há confusão dessa planta com a erva-cidreira (Melissa officinalis). Para acabar com esta confusão é só observar as duas plantas, pois elas são bem diferentes: enquanto o capim-cidreira apresenta folhas estreitas, longas e lanceoladas, a erva-cidreira produz folhas grandes, ovais, pecioladas, serrilhadas e com nervuras salientes.

 

O capim-santo (Cymbopogon citratus) tem aplicações tão variadas quanto os muitos nomes que recebe! Tem uso medicinal, cosmecêutico e culinário. Além disso, o óleo essencial do capim-santo é o citral, sendo uma mistura de isômeros, que é utilizada pela indústria farmacêutica para síntese de ianonas e vitamina A, acompanhado de um pouco de mirceno. Tem ação calmante e espasmolítica comprovada, que é atribuída a presença do citral, considerando-se a atividade analgésica devida ao mirceno.

Propriedades medicinais e benefícios

 

No uso medicinal, o capim-santo é especialmente usado no combate a vermes, como os nematóides e seu óleo essencial age contra bactérias. Além disso, cinco de seus componentes inibem a coagulação sanguínea.

 

Ele é bastante usado popularmente em forma de cataplasmas para tratar as dores de artrite e em banhos para aliviar os músculos doloridos.